5 de dez de 2011

Entrevista com o escritor turco Orhan Pamuk

"(...) enquanto o Ocidente sente orgulho do que é, a maior parte do mundo vive tomada pela vergonha. Mas, quando os objetos que nos causam vergonha são expostos num museu, transformam-se imediatamente em pertence que podem nos orgulhar". (trecho do romanceO museu da Inocência

Em 2005, Pamuk foi ameaçado por grupos nacionalistas ao criticar a história de seu país pelo silêncio sobre a morte de um milhão de armênios na Turquia durante a Primeira Guerra ou sobre a morte de 30 mil curdos nas últimas décadas. Ao retornar a Istambul, foi acusado pelo Governo turco de ofender a identidade nacional sob pena de três anos, mas foi absolvido após diversas manifestações de escritores e organizações defensoras dos direitos humanos.



Morando nos EUA para a conclusão do Ph.D de sua então esposa, Pamuk escreveu O livro negro, lançado em 2008 no Brasil e que se tornou um filme sob a direção de Ömer Kavur.
 
O escritor turco Orhan Pamuk, prêmio Nobel de Literatura em 2006, estará hoje (05/dez) no Salão de Atos da UFRGS, em Porto Alegre, para a última edição do Fronteiras do Pensamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário